Foto de Pete Linforth

A Internet entrou nas rotinas e apoderou-se da forma como as pessoas se movem pela vida, porque estão dependentes deste canal para executar todo o tipo de tarefas. A verdade é que transformou a sociedade e criou um potencial de negócio sem limites.

 

Mas o que fazem as pessoas na Internet?

Maioritariamente pesquisam. A pesquisa é usada para encontrar todo o tipo de conteúdos, e é aqui que reside o maior potencial para as empresas que pretendem aumentar os resultados através do canal digital - o SERP (Página de resultados a pesquisas). Ou seja, se as pessoas procuram, o potencial está em apostar nas tecnologias para ser encontrado.  

 

As páginas passam a fazer parte dos resultados de pesquisa após serem indexadas e devidamente catalogadas pelos motores de pesquisa como o Google. Mas estar presente não é tudo, porque o grande objetivo é alcançar as primeiras posições dessas páginas de resultados às pesquisas. É aqui que o SEO (Otimização para motores de pesquisa) se assume como a principal metodologia para que se alcancem as primeiras posições.

 

SEO, como conceito, já  se enraizou no vocabulário daqueles que procuram melhorar os resultados do seu negócio através da internet. O grande problema reside no facto de que grande parte dos profissionais apenas dominam este tema de forma superficial. SEO não se resume em ter as “Meta Keywords” devidamente preenchidas ou em produzir conteúdos originais e com regularidade, trata-se sim de uma metodologia complexa que obriga a uma enorme atenção a todos os detalhes para que se consiga colher o máximo possível de pontos reputacionais.

 

É com este nível de detalhe que passamos a uma camada mais profunda do SEO que atua de forma passiva, a segurança. Neste âmbito, conheça os aspetos que não pode ignorar se não pretende que o seu website se torne invisível para o Mundo.

 

Atualize o seu website

A maioria dos websites têm por base um CMS (Sistema de gestão de conteúdos), uma ferramenta que permite gerir os conteúdos e otimizar as páginas do site de acordo com algumas regras SEO. Estes sistemas têm que estar permanentemente atualizados, sob pena de se tornarem vulneráveis a intrusos. Um website pode ser modificado a partir de injeção, danificando as otimizações feitas, algo que poderá causar a perda de tráfego.

 

Outra consequência é tornar-se incompatível com os Browsers modernos (softwares para visualização de páginas), em que os mais utilizados são o Google Chrome, o Internet Explorer, Firefox, Edge ou Safari.

 

Além dos pontos apresentados, também é muito importante que invista na atualização de plugins terceiros e que verifique se são fiáveis. Há plugins que causam lentidão no carregamento da página, mais um fator que a Google tem em consideração ao atribuir o rank ao seu site. Esses plugins também podem estar comprometidos, sendo nesse caso uma porta aberta para intrusões. Já foram registados casos em que os atacantes alteraram a conta do sistema de pagamentos e canalizaram parte do valor das vendas para as suas contas.

 

Mantenha o seu site num servidor atualizado e seguro

Em termos de vulnerabilidade do alojamento há várias preocupações. O defacing é uma das tipologias de ataque que poderá surgir, é uma técnica usada por hackers que consiste no facto de o pirata informático obter acesso ao espaço onde se encontra o site, um acesso que lhe permite alterar os ficheiros do site. Esta técnica é usada para que troquem o seu site por uma página falsa, ou para se aproveitarem do tráfego que recebe do Google e encaminhá-lo para publicidade. Na maioria destes casos, a Google coloca os sites em Blacklist, removendo-os dos resultados de pesquisa ou acrescentando uma mensagem que alerta o utilizador que esse site está comprometido. Outra penalização ocorre ao nível do Google Chrome. As pessoas que tentarem aceder ao seu site irão encontrar uma mensagem a alerta que o seu site está infectado e que não será boa ideia entrar.

 

Ligação segura (HTTPS)

A sigla HTTP já faz parte do nosso conhecimento quotidiano, embora exista um problema característico das comunicações desse protocolo. A comunicação via HTTP não é encriptada, o que permite que terceiros possam “ver” a sua comunicação com o site em questão. Por seu lado, na comunicação via HTTPS não é possível “ver-se” o conteúdo das comunicações de uma forma tão linear, uma vez que a comunicação entre si e o site que visita se encontra encapsulada por uma camada de segurança.

 

Nos últimos anos, a Google tem beneficiado os sites que usam o protocolo seguro (HTTPS) quando se encontram nas mesmas condições de reputação de outros sites que ainda estão presos ao protocolo (HTTP). A grande prova de que esta matéria é de alta relevância para a Google é o fato de o gigante tecnológico estar a tentar colocar o HTTPS como o standard da internet. A empresa anunciou que vai aproveitar o lançamento da versão 68 do Google Chrome, em Julho de 2018, para colocar um alerta a quem tente visitar um site HTTP. Para além de os websites HTTP já estarem a ser penalizados em termos do posicionamento aos resultados das pesquisas, os utilizadores vão ser desencorajados a visitar os sites que não tenham HTTPS.

 

Os tempos mudaram, e com isso aumentou a exigência tecnológica. Apostar no digital é abraçar caminho válido que traz resultados. Claro está, não pode apostar numa mera presença e esperar grandes resultados.  Tenha o seu website e servidores devidamente atualizados. Procure o apoio de um especialista que o guie da melhor forma, para que obtenha os melhores resultados.