5 razões para apostar numa metodologia Ágil

As metodologias Ágeis resumem-se na instituição de um paradigma que permite obter maior controle na gestão de processos e na garantia de que as tarefas serão executadas dentro dos tempos previstos. Nos dias de hoje, percebe-se que estas metodologias podem ser aplicadas a diferentes áreas de negócio. Não terá que estar diretamente ligado ao mercado do desenvolvimento de software.

 

A mudança para uma metodologia Ágil exige toda uma preparação para que a implementação seja levada a cabo com o mínimo de danos e máximo de resultados. Trata-se de um processo que solicita uma alteração estrutural no modus operandi das organizações. Por esse motivo, estas ações não podem ser levadas a cabo de forma leviana, mas sim através de um movimento conjunto, controlado e com o esforço de todos. É fundamental que a liderança esteja de acordo com a implementação e que não volte a olhar para trás.

 

Abaixo deixo os 5 pontos que clarificam a passagem para um mindset Ágil.

 

Consistência

Este é um dos pilares dos métodos Ágil. A produção das equipas em ambiente Ágil resume-se a uma forma de trabalhar que aumenta a eficiência dos recursos humanos. É comum existirem reuniões matinais nas empresas que adotam esses métodos. Os pontos de verificação regulares permitem que as equipas se ajustem no tempo, tendo como objetivo concluir os projetos dentro do prazo previsto, algo que não acontece em equipas que trabalham de forma desarticulada e orientadas a Gantt Chart.

 

 

Personalização

Cada estrutura Ágil deve refletir um ecossistema, tem de imprimir a sua própria identidade. A probabilidade de sucesso com modelos copiados é notoriamente mais baixa, podendo até o resultado ser pior do que no modelo original. O meio em que nos inserimos está em constante mutação, o que nos obriga a ter dinâmicas completamente diferentes e a contar com a elasticidade necessária para nos adaptarmos a essa realidade.

 

 

Criatividade

Um sistema ágil bem estruturado é um grande promotor da criatividade. As organizações passam a ouvir. Dão voz a todos os que têm uma participação nos processos de planeamento e execução. Seria de todo irresponsável uma organização partir do princípio de que não necessita do conhecimento dos seus funcionários para fortalecer os seus próprios alicerces.

 

Este modelo é essencialmente horizontal. Ou seja, promove o diálogo entre aqueles que fazem parte da estrutura da organização, aproximando as pessoas e dando espaço a novas ideias. São dinâmicas muito mais flexíveis que vão potenciar os resultados. O débito de informação vai multiplicar-se, daí ser comum utilizar-se as paredes durante as reuniões para esquematizar pontos de vista, sem que exista a limitação de espaço imposto pela folha de papel ou pelo tamanho do monitor do computador.

 

 

Produtividade

As dinâmicas inseridas na organização através de um método Ágil vão imprimir uma grande mutação na produtividade, principalmente pela velocidade que vão imprimir dentro da empresa onde sejam implementadas. A energia resultante das sinergias que vão ser criadas irão garantir o cumprimento de prazos, aumentar a velocidade de produção, aumentar a detecção de falhas e aumentar a qualidade.

Qualquer organização que aplique um método adequado irá sentir uma diferença enorme em termos de produtividade. Será sentir a organização a transitar para uma versão melhorada, mais moderna e eficiente. Face às exigências do mercado, será natural que as empresas se modernizem ou que fechem por incapacidade em competir.

 

 

Motivação

Tendo como pano de fundo a vontade em crescer e de extrair o que de melhor cada um tem, estes métodos focam-se em garantir que as empresas disponibilizem as melhores condições possíveis para estimular o crescimento das suas equipas. Por esse motivo, é comum que se promovam eventos fora e dentro das instalações da empresa. Não menos importante é o facto de o espaço numa empresa moderna transpirar toda esta ideologia, permitindo que todos façam parte da sua construção e que o ambiente seja um reflexo daquilo o que se passa entre paredes.

 

No fundo, um processo Ágil não é uma fórmula. Trata-se de uma cultura empresarial que deve ser introduzida e permanentemente melhorada. No momento em que perca essas características deixa de se designar como Ágil.